Aloisio Magalhães: um designer polivalente

José E. Mindlin

 Banco Boa Vista – Rio de Janeiro 31/5/1983

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – setembro/outubro 1983

Aloisio Magalhães e o Desenho Industrial no Brasil

FIESP, CIESP

  • p. 2

“Poucas pessoas no Brasil poderiam se gabar da versatilidade que teve Aloisio Magalhães em sua curta vida. É difícil, por isso, isolar sua atividade no campo do desenho industrial das que exerceu em outros campos. Foi um artista gráfico de excelente nível, foi pintor, desenhista e, surpreendentemente, político na conquista de meios para a realização de seus projetos culturais.

A preservação da memória nacional, que nele constituía quase uma ideia fixa, se fez através da Fundação próMemória e da Secretaria do Patrimônio Histórico e Artistíco Nacional. Com seu incrível dinamismo, fez surgir, repentinamente, na Secretaria de Cultura do Ministério da Educação e Cultura, uma atividade que parecia impossível antes de ele assumir as responsabilidades que lhe foram atribuídas. Obteve recursos, cuidou pessoalmente de conciliar tendências e interesses divergentes, e estruturou um esquema que funcionou”

Anúncios