A

Marcos da Arte

Aloisio Magalhães e suas etapas nas belas artes: pintor, gravador, cronista cultural, designer, programador visual, jurado, galerista

Técnicas empregadas por Aloisio Magalhães

1945 works on paper – desenho (grafite, bico de pena, guache e nanquim )

1949 pintura (aquarela, óleo)

1951 gravura (lito)

1954 escultura; arte mural – azulejaria (figura solta)

1972 cartema

Aprendizado Visual de Aloisio Magalhães

1946 Na Universidade de Pernambuco é ouvinte das aulas do paraense Álvaro Amorim

1951 Em Paris, na Escola do Louvre cursa Preparação para Conservadores de Museus com Germain Bazin; no Atelier 17, do inglês Stanley William Hayter, recebe orientações de gravura

1956 Na Filadélfia, na The Falcon Press, de Eugene Feldman, se familiariza com offset.

Oficina de Arte de Aloisio Magalhães

1949 Atelier da Rua Aurora – divide com Reynaldo Fonseca

1953 Ateliê Coletivo – o artista é pensado como um artesão que trabalha coletivamente

1954 Atelier 415 – Rua Amélia, onde funciona O Gráfico Amador

Exposições de Aloisio Magalhães

Individuais

  • Nacionais – Pintura 1953, 1954, 1958, 1961

Durante a ditadura: Cartema 1972, 1973, 1974

  • Internacionais 1956, 1957, 1958, 1959, 1965, 1975, 1977

Coletivas

Participa em Salões, Bienais e Mostras Itinerantes

  • Nacionais 1949, 1953, 1955, 1956, 1959, 1961, 1963

Durante a ditadura: 1968, 1970, 1972, 1974, 1976

  • Internacionais 1957, 1959, 1960, 1962, 1971, 1973, 1974, 1975, 1977

Póstumas

  • Individuais 1982, 1984

2005, 2010, 2014

  • Coletivas 1984, 1985

1992, 1997, 1998, 2001, 2002, 2003, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2012, 2013

  • Internacionais

2003, 2008, 2012

Aloisio Magalhães como Cronista Cultural

1953 Folha da Manhã – Recife – coluna Pintura – sob sua responsabilidade

1979 Revista Urbis – Recife

A Transmissão do Saber por Aloisio Magalhães

1953 Implanta a Escolinha de Arte do Recife

1958 Conferência O Ensino das Artes Visuais em Pernambuco no curso sobre Política e Administração Escolar no Nordeste Brasileiro, promovido pelo CRPE do Recife

1959 Ministra o curso A Composição em Pintura – da série A criação e a técnica nas artes, com a colaboração da Escola de Belas Artes; Professor visitante na Philadelphia Museum School of Art

1970 Comunicação e Artes Plásticas – Forum na UFRJ

Fortuna Crítica de Aloisio Magalhães

José Carlos Oliveira

1953 Hermilo Borba Fº

1954 Everardo Vasconcelos, José Geraldo Vieira

1956 Sérgio Milliet

1957 Nelson Coelho

1959 Gilberto Freyre

1960 Alceu Amoroso Lima, Luiz de Almeida Cunha, Paulo Mendes de Almeida

1961 Marta Traba, Osvaldo Orico

1962 Elizabeth Bishop, Luiz do Nascimento, Martin L. Friedman

1966 John W. Cataldo

1970 Gilbert Chase

1972 Antonio Houaiss, Arnaldo Pedroso D’Horta, Roberto Pontual

1973 Olney Kruse

1974 Ariano Suassuna, Clarival do Prado Valladares, José Castello

1976 Antonio Carlos Villaça, Aracy Amaral

1982 Ageu Magalhães Fº, Corinto de Arruda Falcão, Guita Charifker, José Claudio, Leonardo Dantas, Orlando da Silva

1984 Felipe Taborda

1986 P. M. Bardi

1989 Frederico Morais

1992 Fernando de Mello Freyre

1999 Isis Fernandes Braga

2002 Tadeu Chiarelli

2004 Angela Magalhães, Eliane Weizmann

2005 João Carlos Alt

2008 Mª Bonomi

2011 Horacio Fernández

Identidades Visuais das Artes elaboradas por Aloisio Magalhães

1954 O Gráfico Amador

1960 Espaço Petite Galerie; MNP Magalhães Noronha Pontual

1965 Bienal de São Paulo

1966 Aloisio Magalhães Programação Visual Desenho Industrial Ltda.

1971 Oficina Brennand

1975 CNRC Centro Nacional de Referência Cultural

1976 PI Produção Implantação Ltda.; PVDI Programação Visual Desenho Industrial Ltda.

Aloisio Magalhães como Fundador

1955 criou o MAP Museu de Arte Popular de Pernambuco, junto a Abelardo Rodrigues

Homenagens a Aloisio Magalhães

1955 Soneto Raspado das Telas de Aloisio Magalhães – Carlos Pena Fº

1958 Poema de José Laurênio de Melo

1961 Poema O Sim Contra o Sim no livro Cabralino Serial

1978 Poema de Mauro Mota

1982 No livro Lasar Segall: antologia de textos nacionais sobre a obra e o artista

1984 Poema Interlocução de Felix de Athayde

2009 No livro Fotografias de Maureen Bisilliat

Aloisio Magalhães como Autor de Livros de Artista

1957 Doorway to Portuguese com Eugene Feldman

1958 Improvisação Gráfica

1959 Doorway to Brasilia com Eugene Feldman

1971 1/8/16, Quartered Information

Coleções das obras de Aloisio Magalhães

Institucional

  • Nacional

1959 MAM-BA, MAM-Rio; 1960 Museu do Açúcar; Pinacoteca da Residência Presidencial, Itaú, MAC-Niterói- João Sattamini, MAM-SP, MAMAM

  • Internacional

1957 MoMA

Particular

  • Nacional

Ariano Suassuna, Clarice Magalhães, Liliana Magalhães, Solange Magalhães

  • Internacional

1958 Gronchi

Aloisio Magalhães como Projetista Expográfico

1961 Exposicão de arte sagrada – Páscoa do Itamaraty

Aloisio Magalhães como Documentarista

1963 Bienal de Paris

Elaboração de Catálogos de Arte por Aloisio Magalhães

1963 Augusto Rodrigues

1970 XXXV Bienal de Veneza

1974 Guignard, Milton Dacosta

Aloisio Magalhães integrou Júri

Salão

1967 Anuário de Arte Visual do Brasil

Aloisio Magalhães propulsionou a publicação de Livros de Arte

1972 Landseer (diagramação)

1976 O Brasil de Thomas Ender – 1817

1980  Arte Plumária do Brasil (Catálogo)

1981 Os Desenhos (Frans Post), Presença das regiões: aspectos do trabalho de artes plásticas no Brasil (Simpósio); Salão Nacional de Artes Plásticas (Catálogo)

Aloisio Magalhães como Galerista

1974 GB Galeria Gravura Brasileira

 Reelaboração da obra de Aloisio Magalhães

1976 Cildo Meireles

Anos 2000 Vestindo Cultura

2005 Rico Lins

2010 Coletivo Otto, Fernando Schmitt, Marina Moraes

2011 H. D. Mabuse, Jaime Bibas

Presidente da Associação

1978 Associação de Amigos do Museu de Imagens do Inconsciente

Espaços de Arte em sua deferência

Sala Aloisio Magalhães – Museu Nacional de Belas Artes

1982 Galeria Metropolitana de Arte Aloisio Magalhães

1983 Sala Aloisio Magalhães – BN – Seção de Iconografia

1997 MAMAM Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães

Galeria Petrópolis

Artistas Referentes de Aloisio Magalhães

Nacionais – Burle Marx, Weissmann

Internacionais – Escher, Klee, Léger, Matisse, Miró, Stankowski

Criativos que tem Aloisio Magalhães como Referência

2006 America Sanchez

Apo Fousek, Jackson Araújo


Publicação Salão Nacional de Artes Plásticas

Presença das regiões: aspectos do trabalho de artes plásticas no Brasil 5 a 30/11, Palácio da Cultura, Rio

1981

A Permanência dos Gêneros Tradicionais da Arte: o Retrato, a Paisagem, a Natureza-Morta

13/12/2001 a 3/2/2002

19/12/2003 a 21/3/2004

Ordem x Liberdade  – MAM-Rio

Anúncios