Veneza Brasileira

1927 – Nasce e tem sua formação (imprint + upbringing) no Recife
1945 – Desenha: sua Arte em Papel consiste em grafite, bico-de-pena, guache e nanquim
 

Estudantes

1946 – Colabora graficamente para a revista Estudantes
 

Figurinos e Cenografias TEP

1947 – Realiza figurinos, cenografias e dirige o Departamento de Bonecos do Teatro do Estudante de PE
1949 – Divide ateliê com Reynaldo Fonseca
1950 – Bacharel em Direito, participa das edições TEP; redator na Diretoria de Documentação e Cultura
 

História do Teatro

1951 – Ilustra o livro de Hermilo Borba Fº
 

O Sobrado na Paisagem Recifense

1952 – Participa do Ateliê Coletivo; ilustra o livro de Aderbal Jurema
 

Escolinha de Arte do Recife

1953 – Implanta a Escolinha de Arte; expõe suas pinturas no Departamento de Documentação e Cultura, que se caracterizam pela horizontalidade e por representarem o Trópico Úmido
 

Gráfico Amador

1954 – Funda o Gráfico Amador e realiza painel de azulejos para a residência de Torquato Castro
 

MAP
Mobiliário da Biblioteca Popular de Afogados
Cenários TAP

1955 – Funda o Museu de Arte Popular; desenvolve mobiliário para a Biblioteca Popular de Afogados; realiza cenários para o Teatro de Amadores de PE
 

Telhados do Recife

1957 – Realiza litografias
 

Cenografia

1958 – Leciona Cenografia na Escola de Belas Artes e ciceronea o cineasta italiano Rossellini
 

Cotonifício Capibaribe

1961 – Símbolo

Museu do Açúcar

Banco Mercantil de Pernambuco

1963 – Idealiza monumento e organiza exposição permanente para o Museu do Açúcar; cria o símbolo do Banco Mercantil de PE
 

Cartazes do Governo Miguel Arraes

1964 – Cartazes
 

Beija-flor

1965 – O símbolo e o sistema de embalagem da Produtos Beija-flor é desenvolvido pela Aloisio Magalhães Programação Visual Desenho Industrial Ltda.
 

EMPETUR

1967 – A identidade visual da Empresa Pernambucana de Turismo é fruto da Aloisio Magalhães Programação Visual Desenho Industrial Ltda.
 

Produtos Têxteis Capibaribe

IASA – Indústria de Azulejos S. A.

1970 – Marca para Lençóis do Cotonifício Capibaribe; Logotipo elaborados pela Aloisio Magalhães Programação Visual Desenho Industrial Ltda.

Brennand

1971 – Cria a marca do artista
 

Vista Aérea de Recife

1972 – Realiza Cartema com postais do Recife
 

Seminário de Tropicologia

1975 – Conferencista
1982 – É velado no MAP; é batizada a Galeria Metropolitana de Arte Aloisio Magalhães (mais tarde MAMAM)
 

Sala Aloisio Magalhães

  • Fundação Joaquim Nabuco

Rua Professor Aloisio Magalhães

  • Logradouro no Recife Antigo passa a assim denominar-se
1985 – A FUNDAJ abriga espólio referente a arquivos de documentos textuais e fotográficos
 

Auditório Aloisio Magalhães

1986 – FUNDAJ

MAMAM

1997 – A Galeria de Arte passa a denominar-se Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães

  • Figura entre os Pernambucanos Imortais
2005 – O designer paulista Alexandre Wollner afirma que o diferencial de Aloisio é que foi criado e viveu no centro da cultura regional brasileira.
 

contidonãocontido

2010 – Mostra de cartemas

Anúncios