Recordaflexões Brasileiras

1977

UT Libraries 2008

Polem – Edição 1

Décio Pignatari

  • p. 13

Delmiro Gouveia foi o Welles/Kane da indústria primitiva brasileira.

Santos Dumont foi nosso primeiro grande designer e um dos grandes designers do mundo.

O seu 14 bis é um portento de desenho industrial. Mondrian antes de Mondrian. Mies van der Rohe antes de Mies. As casas do céu.

O incentivo a filmes com roteiros extraídos de obras literárias é uma iniciativa reacionária contra o cinema nacional, que aí perde muito de suas possibilidades de de linguagem autônoma, ao mesmo tempo que dá a ilusão de propiciar uma abertura contestatária (quando na verdade só facilita uma contestação superada e subdesenvolvida). São Bernardo, de Leon Hirschmann, são cartões postais sonorizados. Continua aqui o esteticismo decadente do cinema-novo. E o som continua como nos tempos de Genésio Arruda, um avatar fisionómico do Rogério Duprat. Oswald era um cantor de ópera com as finezas de um Duchamp e de um João Gilberto.

O belo trabalho de Programação Visual que Aloisio Magalhães fez para a Petrobrás está sendo poluído por uma marquinha supérflua — que, por curiosa coincidência (já que deriva de uma anterior, aliás, péssima) rearticula os mesmos elementos da marca da Chevron, subsidiária da Esso/Exxon. Como se sabe (está escrito nas latas), a linha de óleos lubrificantes Lubrax (criei este nome) é produzida pela Petrobrás sob licença da Chevron. Sobre a embalagem, é melhor não falar muito: tanto fizeram que conseguiram uma embalagem sem caráter, americana e pior do que as americanas concorrentes.

Anúncios