Banco do Brasil

1980

M Library 2010

Boletim

  • p. 12

Surgiu, então o primeiro esforço de racionalização da moeda nacional: a instituição do cruzeiro.

A colocação da nova moeda foi facilitada porque se manteve a relação mil réis/cruzeiro, de um por um. No novo sistema, todas as cédulas do cruzeiro deveriam ter o tamanho de 70mm x 140mm, o mesmo desenho do corpo principal e cor azul no anverso. Entretanto, até que se pudesse dispor dos novos exemplares, e para aproveitamento do estoque então existente na Caixa de Amortização, foi autorizado o uso de carimbo. O recrudescimento do processo inflacionário, porém, se encarregaria de diminuir os efeitos benéficos da iniciativa, tornando a unidade monetária brasileira inteiramente inexpressiva. Em 1964, o valor de um bem, por mais simples que fosse, era expresso em grandes cifras. Um apartamento, por exemplo, custava próximo de uma centena de milhões de cruzeiros, uma caixa de fósforo, Cr$ 30,00.

Do velho cruzeiro, desgastado pela inflação, foram cortados três zeros, transformando 0 $1.000 antigos em NCr$ 1,00 novo.

Foi autor dos desenhos o Professor Aloisio Magalhães, “designer” conhecido internacionalmente, escolhido por uma comissão de alto nível, entre oito artistas de notória capacitação em artes gráficas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s