Memória viva

18/2/1976

Veja – Arte – nº 389

  • p. 96

Para que pode servir uma lâmpada num remoto arraial do interior
nordestino onde a energia elétrica nem chega?

Com a finalidade de estudar produtos
como esses, nos quais não falta a criatividade popular, e talvez
ainda entre uma dose de humor, foi criado há menos de um ano, em Brasília, um
novo e ambicioso organismo: o Centro Nacional de Referência Cultural, mantido
pelo poder público * e dirigido pelo conhecido designer Aloisio Magalhães.

Devemos mesmo consumir a  sofisticação que nos é proposta hoje em dia, ou podemos refletir, cotejar e canalizar o desenvolvimento à luz de indicadores nossos?

“Detectar a identidade própria e os parâmetros indicadores das peculiaridades da nossa cultura e interligar os estudos que estão em compartimentos estanques”,

diz Magalhães.