O prédio do Jockey no centro: um trunfo da candidatura Machado

1980

Veja

  • p. 54
  • p. 178

Incêndio do Jockey se transferiu da Sul América para a Internacional de Seguros. Uma ninharia para a Sul América, a maior seguradora do país, e até para o clube, que tem um movimento mensal de 100 milhões de cruzeiros: o prêmio era de 322 885,74 cruzeiros. Mas desencadeou um temporal de denúncias na imprensa, pelos partidários de Leonídio Ribeiro, enquanto Paula Machado justifica a providência com singular candura: “Para que eu ia dar o seguro para um adversário, se os prêmios em  todas as seguradoras são os mesmos?” filhos notáveis — por deferência de Paula Machado.

O poder de fogo dos candidatos parece mesmo equilibrado. Paula Machado tem, junto à força dos 28 anos somados na direção como vice-presidente e depois presidente, a retaguarda dos negócios familiares: é presidente do conselho do Banco Boa Vista, o 33° do Brasil, e um lugar no conselho da Docas de Santos, que o bisavô fundou e hoje lhe permite um folgado expediente para tratar do Jockey. Leonídio Ribeiro, ao contrário, chega de manhã e sai à noite dos escritórios da Sul América, onde na década de 60 era advogado. Mas admite que cuida de eleição “das 7 da manhã até depois da meia-noite”. Nem o presidente João Figueiredo, que como todo presidente da República que gosta de cavalo é presidente honorário do Jockey, ficou incólume. No começo do mês, jantando à beira do lago Paranoá, na casa do Bradesco, com o armador chinês Y. K. Pao, foi agarrado por Leonídio Ribeiro com a súplica: queria uma foto a seu lado porque o concorrente tinha essa munição em estoque e andava publicando na revista do Jockey. 

Ele garante que está empatado com Paula Machado na disputa pelos 600 votos flutuantes capazes de decidir a eleição e arrola entre seus cabos eleitorais nada menos que o ex-presidente Medici, de resto outro presidente honorário do clube

FORÇA FEMININA — Seu almoço é todo dia na sede do Jockey do centro da cidade — um marco da administração Paula Machado, que comprou o terreno da Caixa Econômica para pagar em vinte anos com juros de 9%, usou o próprio aval na operação e ainda arrebanhou o trabalho de Lúcio Costa, Burle Marx e Aloisio Magalhães no projeto. Ribeiro conta que, nos últimos tempos, tem sido apresentado a “trinta ou quarenta pessoas por dia”, o que está começando a prejudicar sua memória para nomes.

Ribeiro, que tem vinte comitês de voluntários na cidade e os publicitários Mauro Salles e Luiz (MPM) Macedo trabalhando de graça por sua candidatura, responde que quase tudo lhe veio como contribuição gratuita de conhecidos.

Casado, pai de quatro filhos, ele acaba de descobrir, aos 45 anos de idade, a importância eleitoral das mulheres: “Nunca pensei que elas se engajassem tanto em campanhas”. Paula Machado, sexagenário e solteirão, que mora sozinho num palacete de Botafogo, chegou “à mesma conclusão — elas pensam que, porque eu sou solteiro, sou contra elas. E os adversários ficam explorando isso”.

PODER DO CARGO – Paula Machado tem, em Rio Claro e em Botucatu, interior de São Paulo, os maiores tiaras do país. No momento, mantém 140 cavalos em corridas do Rio e São Paulo. Ribeiro …