Memória Viva

1987

17Um filme sobre Aloisio Magalhães

“(…) o pioneirismo de Aloisio Magalhães, de homem de artes a personalidade pública. Um pintor que se transformou em artista gráfico e designer. Um programador visual, criador das notas de cruzeiro e de símbolos e logotipos de mais de 90 empresas nacionais e estrangeiras, que acabou como fundador do Centro Nacional de Referência Cultural.” (FestRio/4)

Premiações obtidas entre 1987-89:

  1. Prêmio especial do júri do IV Festival de Cinema, TV e Vídeo do Rio
  2. Melhor filme e fotografia do 21º Festival de Cinema de Brasília
  3. Prêmio da Federação Internacional de Cineclubes – IV FestRio
  4. Prêmio Paulo Emílio Salles Gomes da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, na XVII Jornada de Cinema da Bahia
  5. Recomendação da Ocic e destaque do júri no X Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano – Havana

2005

“Memória Viva” foi televisionado pela TVE.

A leitura de um livro em que foram reunidos vários textos de Aloisio Magalhães (1927-82) foi o ponto de partida para este documentário que numa linguagem objetiva, com participações de nomes conhecidos de vários setores fez um mapeamento das diferentes manifestações culturais – e especialmente dos problemas – que acontecem em nosso país.

Indispensável para os designers, estudantes de desenho industrial e programadores visuais, um filme calcado sobre a personalidade de Magalhães, professor da pioneira Escola Superior de Desenho Industrialno Rio, idealizador do Centro Nacional de Referência Cultural, depois Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/ próMemória e, por fim a Secretaria da Cultura. Aloisio criou símbolos e marcas para uma centena de empresas e instituições, inclusive a do IV Centenário do Rio.

A Embrafilme, quando da realização do filme, boicotou sua distribuição, alegando que se tratava “de um filme muito difícil”. Com isto, um retrato honesto, profundo e extremamente realista sobre as contradições culturais do Brasil está inédito praticamente em todo o país.

Companhia produtora: Octávio Bezerra Produções Cinematográficas
Companhia(s) produtora(s) associada(s): Momento Filmes; Fundação Nacional próMemória; Governo do Estado de Pernambuco; Sky Light Cinema; Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S. A.
Produção: Cardoso, Juca; Dutra, Cláudia; Miranda, Cláudia; Barros, Venancio; Pestana, Fernanda; Flores, Lidio; Ferreira, Jorge; Santana, Elem; Nunes, Emilia; Mezel, Kátia; Mota, Andrea; Magalhães, Liliana; Dubeaux, Marta; Assis, Cláudio; Severino, Manoel; Salvador, Waldir; Guimarães, Jesse; Dias, José
Produção executiva: Santos, Nei; Bezerra, Octávio
Argumento, Roteiro e Direção: Bezerra, Octávio

Autoria do texto de locução: Magalhães, Aloisio

Fotografia

Direção de fotografia: Branco, Miguel Rio
Assistência de fotografia: Azambuja, Carlos
Fotografia de cena: Azevedo, Paulo
Trucagens: Mauro, Zeca

Dados adicionais de fotografia

Eletricista: Carneiro, Octávio; Dal; Mazzola; Rizzo
Maquinista: Luis, José; Henrique; Assis

Som

Direção de som: Cezar, Antonio
Sonografia: Riva, Carlos de La
Assistente de som: Santana, Joaquim
Técnico de dublagem: Bezerra, Octávio
Montagem: Dadá, Severino
Direção de arte: Pimenta, Fernando
Figurinos: Castro, Flávia
Letreiros: Reis, Bia
Música (Genérico): Bezerra, Octávio; Villa-Lobos, Heitor

Dados adicionais de música

Título da música: Marcha solene; Gottschalk;

Título da música: Carmina Burana;  Orff, Carl;

Título da música: Threnos de natura sonoris;Villa-Lobos, Heitor;

Título da música: Pendericki chorus n. 10 e 11; Villa-Lobos, Heitor;

Título da música: Invocação pela defesa; Villa-Lobos, Heitor

Canção

Título: Sandália de prata; Barroso, Ari; Intérprete: Gilberto, João; 

Título: Vida e morte Severina; Melo Neto, João Cabral de e Buarque; Intérprete: T.U.C.A.; 

Título: Bate canela; Cancioneiro Popular; Intérprete: Jesus, Clementina de;

Título: Rosa amarela; Capiba; Intérprete: Capiba; 

Título: Dama da noite; Intérprete: Magalhães, Aloisio;

Título: Aboios; Cancioneiro Popular; Intérprete: Vaqueiros de Fazenda Nova;

Título: Tinguelê; Cancioneiro Popular; Intérprete: Antônio, Chico;

Título: Sulandô; Cancioneiro Popular; Intérprete: Antônio, Chico;

Título: Rosas não falam, As; Cartola, Mestre; Intérprete: D. Zica

Título: Canto Xavante;

Título: Casa das flautas;

Título: Auto da Catingueira; Santos, Vital;

Título: Ponto de Oxum; 

Título: Aché Ile Obá;

Título: Excelências; Cancioneiro Popular;

Título: Cana caiana; Cancioneiro Popular;

Título: Beira da praia; Cancioneiro Popular;

Título: Repentes; Nova, Ivanildo Vila e Feitosa, Severino;

Título: Lamento; Pinheiro, Adão

Identidades/elenco:
Amorim, Geová
Tuba, Zé da
Martins, Silvia
Agamenon, Moisés
Cláudio, José
Abel
Lopes, Edimar
Barbosa, José
Dardeaux, Liliane
Magalhães, Henriqueta
Denise
Zefinha
Pinheiro, Albino
Carneiro, Ferdy
Pinheiro, David
Albagli, Fernando
Marinho, José
Campos, Fernando
Couto, Carlos
Portinho, Carmen
Costa, Kinha
Carneiro, Mário
Cavalcanti, Emanoel
Senna, Orlando
Nascimento, Karla do
Borges, J.
Leandro Filho
Figueiroa, José
Jesus, João
Manoel, José
Santos, Manoel dos
Martins, Herivelto
Grey, Wilson
Dias, Aloisio
Polonah, Rui
Kadiwéu, Macsuara
Machado, Eduardo
Bulbul, Zózimo
Vilanova, Ivanildo
Oliveira, Leila de
Oliveira, Lucas de
Colombo, Isnar
Dona Zica
Campos, Fernando
Narração:
Magalhães, Aloisio

Conteúdo examinado: S
Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros
CB/FIBRA
Concine/87*
Correio Braziliense, 17.12.1987, p. 26
FestRio/4
FBR/30
Observações:
Trechos contraligados do filme “<MANHÃ CINZENTA>” de <São Paulo, Olney>.
<Magalhães, Aloisio> esteve a cargo da narração final.
João Gilberto cortesia da <WEA>; “Canto Xavante” e “Casa das flautas” gravação de <Goulart, Walter>, cotesia <Keller, Luis>; “<Excelências>”, “<Cana Caiana>” e <Beira da praia>” – cultura popular: recolhidos pelos profs. <Santos, Lauro> e <Brandão, Téo>, Cortesia <INF>.
O elenco está grafado por ordem de aparição em cena porém estão misturados os personagens: Geová Amorin; <Zé da Tuba>; <Homem da Meia Noite>; <Mulher do meio dia>; <Guias-mirins> (Olinda); <Maracatu Porto Rico do Oriente>; <Mamulengo Sorriso>; <Capiba>; Silvia Martins; Moisés Agamenon; José Cláudio; <Abel>; Edimar Lopes; José Barbosa; Liliane Dardeaux; Henriqueta Magalhães; <Denise>; <Zefinha>; Albino Pinheiro; Ferdy Carneiro; David Pinheiro; Fernando Albagli; José Marinho; Fernando Campos; Carlos Couto; Carmem Portinho; Kinha Costa; Mario Carneiro; Emanoel Cavalcanti; Orlando Sena; Karla do Nascimento; <Pixilô>; <Galdino>; <Marliete>; J. Borges; <Leandro Filho>; José Figueiroa; João Jesus; José Manoel; Manoel dos Santos; <Tadeu>; <José Luis>; <Rizo>; <Zica da Mangueira>; <Neuma da Mangueira>; Herivelto Martins; Wilson Grey; Aloisio Dias; Rui Polanah; <Miro> e <Mocinha da Mangueira>; <Macsuara Kadiwéu>; Eduardo Machado; Zózimo Bubul; Ivanildo Vilanova; Severino Feitosa; <Caboclinhos Caruó>; <Gute, Gute>; <Botões>; <Cebolinha>; <Oscar> e <Silva, Orlando>; <Leila> e <Oliveira, Lucas de>; <Estandartes dos Clubes da Federação Carnavalesca (PE)>; <Grêmio Musical Henrique Dias>; Isnar Colombo; <Bajado>; <Marcelio Tá na Rua>.

16/11/2012

Canal Brasil – 16:10

Filme Memória Viva

O filme expõe o trabalho do design Aloisio Magalhães, enfocando as referências da cultura brasileira, sua importância, os elementos que a constituem, suas representações e sua continuidade ao longo do tempo.

Anúncios