T

História do Teatro

Vanessa Johnson

2011

Aloisio Magalhães manifesta o desejo de interpretar através do interesse pelo modo local de fazer teatro, o Mamulengo. Integra os grupos de teatro TEP e TAP, do Estudante e dos Amadores de Pernambuco, nas funções de diretor, cenografista e figurinista, como também realiza as publicações do TEP. E ilustra o livro de Hermilo Borba Fº, ‘História do Teatro’. Na faculdade de Arte Dramática, ensina Cenografia. Mudando-se para o Rio, mantém vivo o tema, discorrendo sobre a técnica. Expõe na VI Bienal de São Paulo, cenários e figurinos de Lisbela e o Prisioneiro. Na PVDI, elabora o troféu Mambembe para as premiações do teatro. Em Brasília, enquanto Secretário de Cultura, forma o Instituto Nacional de Artes Cênicas. Em sua gestão são publicados uma série de livros relacionados ao teatro. Com a constância do Teatro em sua trajetória, Magalhães expressa a importância das artes da representação no cenário nacional.

1946

Integra o Teatro do Estudante de Pernambuco, dirige o departamento de bonecos e funda as Edições TEP. Passa a fazer figurino, cenografia e direção de peças.

31/1/1947

Os Amores de Dom Perlimplin com Belisa em Seu Jardim, A Sapateira Prodigiosa

5/5, 18/9, 19/12/1948

A Casa de Rosmer, Cantam as Harpas de Sião, Haja Pau, A Cabra Cabriola, O Galo Capeta, Mãe da Lua

26/11/1949

Quando Despertamos de Entre os Mortos

21/6/1950

O Vento do Mundo

1951

Ilustra a obra História do Teatro de Hermilo Borba Fº

5/11/1951 (estréia no dia de seu aniversário)

Otelo

1955

Integra o Teatro de Amadores de Pernambuco, realizando cenografias.

15/10/1955

Vestido de Noiva – rodriguiana

30/9/1956

Bodas de Sangue

  • Prêmios Samuel Campelo e Associação dos Cronistas Teatrais de Pernambuco – ACTP

7/11/1958

Onde Canta o Sabiá

1958

Leciona Cenografia.

1961

Carlota

13/4/1961

Lisbela e o Prisioneiro

  • Espetáculo de honra, no sarau da entrega do “Saci” de teatro e de cinema, iniciativa de “O Estado de S. Paulo”, realizado em 28 de maio de 1962

Escreve sobre Cenografia

Expõe os cenários e figurinos de Lisbela e o Prisioneiro na VI Bienal de São Paulo, dentro do quadro da III Bienal das Artes Plásticas do Teatro

1977

Troféu Mambembe

Cria uma estatueta em acrílico, espécie de kikito, utilizada nas premiações do teatro.

1978

Monografias

Anuário do Teatro Brasileiro

Teatro Infantil

Teatro Universitário

Em sua gestão são publicados os livros

1979

Teatro Completo

Em sua gestão é publicado

1981

INACEN

Teatro de Bonecos

Institui o órgão: Instituto Nacional de Artes Cênicas, em sua gestão é publicado o livro sobre mamulengo.

6/2/1982

Concede entrevista-depoimento em sua residência de Olinda – PE, publicada em 1986, no livro: Por um teatro do povo e da terra: Hermilo Borba Filho e o TEP

1983

A Sala Memória Aloisio Magalhães do Teatro Glauce Rocha é criada em sua homenagem.

Exposição Aloisio Magalhães – uma Presença nas Artes Cênicas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s