CAJU E TRÓPICO: SEMINÁRIO EM NATAL OUVE A PRÓMEMÓRIA

setembro/outubro 1980 

UT Libraries 2008

  • p. 19

“O caju no contexto cultural brasileiro”, “Programa para o estudo multidisciplinar do caju” e “O estudo do vinho de caju como tecnologia patrimonial” foram os temas apresentados por técnicos da Fundação Nacional próMemória no Seminário de Tropicologia realizado na cidade de Natal.

A existência do Seminário se justifica pelo fato de o Brasil possuir a maior área intertropical em um mesmo país, com características próprias de vida e cultura, bastante diversas das encontradas nas regiões temperadas e frias do mundo; lembrando-se ainda que na faixa intertropical é onde se localizam os países do chamado Terceiro Mundo e onde se verificam os mais elevados índices de pobreza.

Tem, portanto, o caju muito a ver com o contexto brasileiro e, principalmente, nordestino, na medida em que reflete, de uma forma bastante expressiva, uma série de situações típicas de nossa condição terceiro mundista, dependente dos grandes centros geradores de tecnologia e conhecimentos, ou mesmo das regiões economicamente mais ativas dentro do próprio país.”

A Fundação Nacional próMemória, representada pelo seu Presidente, professor Aloisio Magalhães, e pelos pesquisadores Clara de Andrade Alvim e Mário Edson de Andrade, apresentou sua visão sobre o tema, obtida através de pesquisa intensiva e sistemática que vem realizando desde o Centro Nacional de Referência Cultural, destacando-se o trabalho sobre a fábrica de vinho de caju Tito, Silva e Cia., localizada em João Pessoa, PB.

  • p. 9

Para salvar o vinho de caju

… da Fundação Nacional próMemória escolheram a Fábrica de Vinho de Caju Tito, Silva & Cia., localizada à rua da Areia, 33, em João Pessoa, Paraíba,