DA INVENÇÃO E DO FAZER

23/11/1976

Jan./jun. 1977

UT Libraries 2009

Revista pernambucana de desenvolvimento

V. 4, nº 1

REFLEXÃO SOBRE “O ARTESANATO E O HOMEM”

Aloisio Magalhães

1 – A VIDA COMO…

De um lado, tudo aquilo que é programado, tudo aquilo que de certo modo é rígido, permanente e invariável. E que se poderia dizer que fazem parte de dispositivos genéticos. De outro lado, existem situações em que essa polarização se apresenta em forma de espontaneidade de mutação, modificação, aprendizado e, em última análise, invenção. A esses dispositivos se poderá dizer que são fenomenológicos.

O sistema de vida, no seu sentido mais amplo e abrangente no plano biológico, se apresenta assim, sendo o homem o exemplo mais perfeito e mais completo desse tipo de organização. Nessa ordem de ideias, verifica-se também que os sistemas obedecem a uma trajetória e que essa trajetória é de certo modo inexorável. Ela segue o seu ritmo.

Professor titular da Escola Superior de Desenho Industrial – ESDI. Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

Trabalho apresentado em 23 de novembro de 1976 no Simpósio sobre Artesanato, promoção do III Salão de Arte Global de Pernambuco: O Artesanato e o Homem, Recife, 20.11 a 26.11.76.

1981

UT Libraries 2008

30 anos do Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais

  • p. 340

Promove o I Encontro Nacional de Dirigentes de Museus, propondo-se a estabelecer as bases para adoção de uma política museológica de capacitação dos museus com vistas a dinamizá-los para uma permanente atuação a serviço da comunidade e do país. Realiza as pesquisas Aspectos Hidrográficos da Bacia do Parnaíba; Situação dos Exames Supletivos em Pernambuco de 1972/1974; Representações Sociais do Desenvolvimento Econômico do Nordeste; Caracterização da Educação Pré-Escolar no Norte e Nordeste do Brasil.

1976
Concretizando ideia levantada no ano de 1971, a Diretoria Executiva instala um Centro de Processamento de Dados e Documentação. Realiza o Curso de Métodos e Técnicas em Pesquisas Folclóricas, conjuntamente com a Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro. Promove o Curso de Treinamento e Preparação de Pessoal de Museus, colabora na realização de um Curso de Arte, Restauração e Educação e organiza, atendendo a solicitação da Prefeitura Municipal, o Museu Municipal de Arte de Mossoró.

Promove, dentro do III Salão de Arte Global, organizado pela Rede Globo de Televisão com o apoio do Governo do Estado de Pernambuco, um Simpósio sobre o Artesanato e o Homem. Assinala o transcurso do Congresso Regionalista do Recife, através da promoção de várias atividades culturais, destacando-se: apresentação da Orquestra Sinfônica do Recife, executando as Bachianas Brasileiras, de Heitor Vila Lobos; concursos de licores, batidas e doçaria regional; mostra de comidas típicas regionais; ciclo de conferências sobre  aspectos diversos do Movimento Regionalista; exposições de pintores regionalistas; lançamento da 6ª edição do Manifesto Regionalista. Cria o Centro de Estudos Folclóricos objetivando preservar a memória nacional através do registro, documentários, filmes e gravações de manifestações folclóricas autenticamente brasileiras. Objetivando ampliar e sistematizar os trabalhos na área da pesquisa, …

Anúncios